The Human Centipede II (A Centopéia Humana II)

Título Original: The Human Centipede II
Direção: Tom Six
País: Reino Unido/Holanda
Ano: 2011
Duração: 87 Minutos
Estúdio: Six Entertainment Company

Elenco:  Laurence R. Harvey (Martin Lomax), Ashlynn Yennie (Miss Yennie), Maddi Black (Candy), Kandance Caine (Karrie), Dominic Borrelli (Paul), Lucas Hansen (Ian), Lee Harrys (Dick), Dan Burman (Greg), Daniel Jude Gennis (Tim), Georgia Goodrick (Valerie), Emma Lock (Kim), Katherine Templar (Rachel), Peter Blankenstein (Alan), Vivien Bridson (Sra. Lomax), Bill Hutchens (Dr. Sebring), Peter Charlton (Jake).

Sinopse - Martin é um homem com deficiência mental que vive com sua mãe e trabalha num estacionamento subterrâneo. Como forma de escape, Martin se foca no filme Centopeia Humana, e assiste compulsivamente. Obcecado pela idéia de ter sua própria centopeia feita de gente, e movido por fetiches pervertidos, ele inicia uma trajetória em que sexo, pseudociência e a torpeza humana se unem com um único e terrível objetivo.

Crítica ID - Vanessão

Vou matar dois com um porraço apenas. O primeiro Centopéia Humana foi mais ou menos em todos os sentidos. Foi mais ou menos assustador, mais ou menos engraçado, mais ou menos gore, mais ou menos trash. Parece que os produtores perceberam isso, e quiserem compensar no dois, levando tudo aos extremos.

Em Centopéia Humana I, temos a velha história do cientista maluco que cria um ser absurdo a partir de suas idéias doentias. Ele une três infelizes por ânus-boca, e ainda coloca o trio pra passear no quintal. As vítimas tentam escapar, e tudo o mais, aquele papo de sempre em filmes de terror. Não que seja um filme ruim, mas não vi nada que fosse tão insólito a ponto de merecer uma referência única aqui no blog.

Já o Centopeia Humana II tem mais atrativos (no meu ponto de vista, claro). A começar pelo protagonista, interpretado por Laurence R. Harvey, que tem a maior cara de lunático do mundo, então nem precisa se esforçar muito para encarnar um personagem com problemas mentais.

O cara é um deformado totalmente freak, que sofreu abusos na infância, por parte do pai, e vive com a mãe, uma sem-vergonha que o maltrata constantemente. A maior parte do tempo o cara nem fala nada, mas só pela cara de abilolado já vale a pena. Ele é obcecado pelo filme Centopeia Humana, que assiste o tempo todo em seu laptop, e guarda uma pasta com recortes e informações sobre o filme. Até uma centopeia de estimação o maluco tem!

Quando sua mãe descobre a pasta e destrói o material do filme que Martin tanto idolatra, ele não conta tempo: faz a centopeia picar a velha, matando-a depois a golpes de pé de cabra. E que isto te sirva de lição, bitch! Não satisfeito, coloca o cadáver da mãe na cozinha, sentada a mesa. Bem formal.

Martin decidiu fazer algo grande, inspirado na pesquisa do Dr. Josef Heiter (o cientista que cria a centopeia humana no primeiro filme): ele dará forma a sua própria centopeia  mas não com somente três pessoas. Martin vai criar uma centopeia completa, com doze homens. Infelizmente ele não consegue completar seu sonho, pois algumas vítimas morrem durante o processo, mas mesmo assim, ele faz uma bela centopeia  bem maior que a do primeiro filme.

Não tendo nenhum treinamento médico, Martin faz uma tentativa empírica de se tornar o real criador da Centopeia Humana, assistindo as cenas do primeiro filme em que o cientista realiza os procedimentos, e também vai "aperfeiçoando" as técnicas, só falta gritar "It's alive!!!!" quando a coisa toda está pronta.

O filme corre em um processo de metanarrativa, todo em preto&branco, mesclando o real com o fictício, fazendo referências ao cineasta Quentin Tarantino e também aos atores do primeiro filme. Martin se empolga tanto que usa até um jaleco, pra dar mais ar de homem da ciência. É dose!

Depois de juntar a galera toda, uní-los para formar a tão sonhada centopeia humana, e dar até laxante para que o processo de defecação seja mais rápido, as vítimas dão uma reviravolta e tentam sair dessa situação terrível de qualquer maneira. Daí pro final, segue uma sequência interessante de fatos, e o filme termina deixando uma dúvida no ar.

A British Board Of Film Classification (BBFC), que é o órgão britânico responsável pela classificação etária dos filmes na Grã-Bretanha, baniu o filme, mas voltou atrás depois. Vai entender.... O diretor, Tom Six, anunciou o terceiro e último filme da saga, alegando que fará o CH II parecer um "filme da Disney". Vamos aguardar.

Em resumo, na minha opinião, é um bom filme de horror, tem uma dose legal de violência, um elemento gore/splatter que agrada aos apreciadores do gênero, e por fim, serve como upgrade da primeira produção, que deixou um pouquinho a desejar.










Compartilhar no Google Plus

Autor Vanessa Duarte

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Editá-lo no html
    Blogger Comentarios

13 5:

  1. Adorei esse filme, superou o primeiro em todos os aspectos

    ResponderExcluir
  2. Meu esse carinha que protagoniza é muito sinistro

    ResponderExcluir
  3. vê cara, vale a pena. temos uma extensão em que poderá encontrá-lo http://horroreseries.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. esse protagonista nem usa maquiagem cara, o bicho é feio assim mesmo!

    ResponderExcluir
  5. TENHO que ver esse filme cara! parece muito bom!!

    ResponderExcluir
  6. bem melhor que o primeiro, é uma baixaria só, heheh

    ResponderExcluir
  7. Fodastico Vi Ontem Muito bom!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1

    ResponderExcluir
  8. vai dizer que o gordo não é um pirado total se masturbando com uma lixa?

    ResponderExcluir
  9. é sim cara, tem uma aura sinistra, todo em preto e branco

    ResponderExcluir
  10. superou o 1° filme em tudo... muito melhor,adorei

    ResponderExcluir
  11. não consigo achar o o filme no site para assistir :/

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial