Splice - A Nova Espécie ( 2010 )



Então. A turma caiu de pau nesse filme. Sou sincera em dizer que não achei tão ruim assim. Muitos disseram que o final é completamente fora da casinha, mas se analisarmos, a ciência muitas vezes toma rumos completamente diferentes do objetivo inicial. Sempre foi assim.

Mas vamos lá. Clive e Elsa são um casal de pesquisadores geneticistas. A grande atração deles é manipulação genética a fim de produzir criaturas híbridas das mais inusitadas. Algumas experiências dão certo, e em outras o tiro realmente sai pela culatra. É a vida......


Até que um dia..... eles conseguem gerar uma criatura com DNA de morcego, salamandra, ornitorrinco, boitatá e, claro, DNA humano. É esse bichinho de vestido ali no cartaz. Tá, só porque é uma abominação com cara de fuinha e se apóia nas pontas dos dedos, agora a guria não pode usar um vestidinho e um pouco de maquiagem. Tá....

Os geneticistas dão pulos de alegria quando vêem o sucesso do projeto. Mal sabem eles o que está por vir. A princípio, a sede de conhecimento científico nubla a visão de qualquer um diante de um fenômeno único de hibridização de material genético. Mas com o passar do tempo, e o tempo neste caso passa bem rápido, as coisas mudam completamente de figura.


Clive e Elsa não encaram mais Dren (deram até nome para a criação) como o resultado maravilhoso de uma experiência que deu certo. Ela passa a ser colega, depois amiga, depois uma quase-filha, até que chegamos a um ponto, em que a criatura começa a se interessar sexualmente pelos criadores. Primeiro pelo homem. Depois, pela mulher (devo acrescentar que bruscas mudanças ocorrem na anátomo-fisiologia de Dren). 

O resultado final de tudo isso, é a princípio, trágico. Mas, nada que os cientistas não possam utilizar para pesquisas futuras (nada se cria, tudo se explora). Dren se dá mal. Quanto aos humanos, podemos vislumbrar o que ocorre conosco quando mexemos com quem está quieto.

Pessoalmente, classifico Splice como uma obra mediana. Congratulo pela idéia original e enredo diferenciado. Mas coloco na mesma situação que Centopeia Humana: não chega ao ápice em praticamente nenhum sentido. Dá mesma forma que CH, talvez Splice se saia melhor no prólogo.

Título Original: Splice
Diretor: Vicenzo Natali
Roteiro: Vincenzo Natali, Antoinette  Bryant
Estúdio: Copperheart Entertainment
País: França/Canadá
Ano: 2010
Duração: 104 Minutos
Tema: Ficção Científica

Elenco - Sarah Polley (Elsa Kast), Adrien Brody (Clive Nicoli), Delphine Chanéac (Dren), Brandon McGibbon (Gavin Nicoli), Simona Maicanescu (Joan Chorot), David Hewlett (William Barlow), Abigail Chu (Child Dren).

Sinopse - Clive Nicoli (Adrien Brody) e Elsa Kast (Sarah Polley) ficaram famosos no meio científico pelas suas experiências na combinação do DNA de vários animais, gerando criaturas bizarras. Eles são apaixonados, tanto pelo trabalho que fazem quanto um pelo outro. Agora eles querem dar um passo adiante e combinar o DNA de animais com o de seres humanos, só que seus financiadores vetam a idéia. Eles seguem adiante com a iniciativa, em segredo. O resultado desta experiência é Dren (Delphine Chanéac), um ser cujo ciclo de vida extremamente rápido faz com que atinja a fase adulta em questão de meses. Clive e Elsa tentam manter Dren em segredo, mas logo a ligação entre eles deixa de ser meramente científica para se tornar pessoal.
Compartilhar no Google Plus

Autor Vanessa Duarte

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Editá-lo no html
    Blogger Comentarios

7 5:

  1. olá!
    to precisando de um filme bom pra assistir.
    acho que ja vi tanta coisa, que dificilmente alguma coisa hoje em dia vai ter graça ou vai assustar rs.
    bem, gostei do site.
    passe no meu tambem !

    www.abelezaeterna.blogspot.com

    abraços!

    ResponderExcluir
  2. obrigada pela visita. ultimamente tenho visto mais séries boas do que filmes, tanto que só tenho colocado pérolas aqui, hehehe. aguarde o post do Sharktopus e tu vai ver o que é um filme ruim.....

    ResponderExcluir
  3. Eu vi só o trailer, e vi um forte laço entre nós.
    Genética. *-*

    Vou tentar ver o filme, e fazer umas observações aqui.

    ResponderExcluir
  4. Gostei do filme, interessante a forma que eles criaram ela e passaram a essência humana nesta criatura, que não deveria ter nenhuma, de qualquer forma um filme que creio, vale a pena a experiência :D

    ResponderExcluir
  5. ok irmão, assiste e diz o que tu achou. obrigada pela visita

    ResponderExcluir
  6. Colocando em pauta aqui, minha nada significativa opinião. ^^

    Por ter umas ceninhas de pânico no meio do filme, por ser um filme de ficção ciêntifica e tudo mais, eu sinceramente achei o filme excitante [não completamente claro, seria um fetiche estranho, mas aquela parte entre o Clive e (a) Dren, caraca. '-'], foi um filme bem focado no tema "ciêntifico", seria um ótimo filme para um professor de biologia passar em escola para falar sobre gênetica. rs

    Outra coisa que ficou legal no filme, foi a briga entre os dois monstrinhos. ^^
    Loucura entre 4 paredes de vidro.

    E... Só, e somente só.
    Eu acho que para o gênero, ele foi um bom filme. Foi algo que realmente me fez sentir próximo da realidade, talvez, roteiros que sofram a influência desse filme, deixe de ser um filme de ficção ciêntifica daqui uns anos.

    ResponderExcluir
  7. como nada significativa? justamente os posts são pra turma opinar ;) eu também tive essa impressão, é um bom filme, mas não é um filmaço. obrigada pela visita, e até a próxima!

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial