Sharktopus (Sharktopus)

Título Original: Sharktopus
Diretor: Declan O'Brien
Roteiro: Mike MacLean
Produção: Roger Corman, Julie Corman
País: Estados Unidos
Duração: 89 Longos Minutos
Ano: 2010
Tema: Tosco/Comédia

Elenco: Eric Roberts (Dr. Nathan Sands), Sara Malakul Lane (Nicole Sands), Kerem Bursin (Andy Flynn), Héctor Jiménez (Bones), Liv Boughn (Stacy Everhear), Shandi Finnessey (Staphie), Peter Nelson (Comandante Cox), Ralph Garman (Capitão Jack)

Sinopse - Um grupo da marinha dos EUA conhecido como Blue Water realiza experimentos de engenharia criando uma aberração meio-tubarão, meio-polvo. A besta escapa o controle e foge mar adentro, atacando banhistas, enquanto é perseguido pelos militares e por equipes de tv. Tem até site oficial.

Crítica ID - Vanessão

Com um amigo que indica uma porcaria dessas, quem precisa de inimigos........ e o estrupício ainda teve a cara de pau de dizer "assiste aí e me diz se é bom...." Pô, basta ver o trailer abaixo para perceber que é tão caseiro quanto a Lenda de Bloody Mary. Mas, amigo é coisa pra se guardar do lado esquerdo do peito, logo, assisti essa joça e não falo mais com este amigo em questão.

A Marinha, claro, quer uma criatura assassina mortífera letal para usar na guerra, que seja o maior demônio dos mares, nem o Leviatã encara, derruba nau bélica com uma cuspida, afunda submarino com um peido, nada numa velocidade impressionante, anda em terra firme, sem se preocupar com respiração pulmonar e engole até vadia que tá fazendo bungee jumping na encosta.

Um cientista e sua equipe conseguem realizar o experimento e criam o SHARKTOPUS, um ser que tem cara de tubarão branco e rabo de tentáculos de polvo. O bicho solta tinta preta e agarra as vítimas com seus tentáculos de hentai, devorando tudo que vê pela frente. Durante um treinamento de rotina, a filha do pesquisador, que também faz parte da equipe, perde o controle do bicho, que usava um dispositivo remoto, sofre uma avaria neste dito cujo dispositivo, e aí já viu. A criatura está livre para fugir pelos sete mares e estraçalhar quem ela bem entender.

Desesperados com o escândalo iminente, com a perda da criatura, que afinal, dispendeu milhões de dólares e sabe-se lá quanto tempo para ser concebida, e tudo mais, os Blue Water contratam um ex-integrante que manja pra caramba de resgate de criaturas meta-peixe-molusco e partem em busca do Sharktopus. As cenas são ridículas, com atuações infantilizadas, frases soltas, sem nenhum sentido, a única coisa que presta é o iate do doutor, que realmente é uma maravilha. Embora, estando em movimento, o cabelo dos atores (?) permanece paradinho. Vai entender...

Um bando de gente de biquini e sunga correndo e gritando na areia "Olha o tubarão! Olha o tubarão!", os tentáculos saindo da água e arrastando as pessoas pro mar (mar.... é na beiradinha, só tem espuma, não sei como esse bicho não encalha e tem que chamar o Green Peace), e os caras atrás atirando a esmo. O infeliz que faz o caçador balança a arma na mão pra dizer que está dando recuo com o disparo.

É claro que os Blue Water não querem o bicho morto, afinal, vai que estoura uma guerra e nós precisamos do nosso super-tubarão que mata qualquer coisa, então, vamos passar o resto da película navegando atrás da besta, e arrastando junto um pescador que teve contato com a criatura e sobreviveu, mais uma jornalista fubanguenta com cara de meretriz e o câmera latino bombado, e quem sabe, no final, nós consigamos resolver essa peleja toda.

Depois de barbarizar a costa do México (é, é no México, quem disse que só o pessoal do Chaves vai pra Acapulco?) matar quase toda a equipe, incluindo o cientista-pai da criatura, e afundar meia duzia de navios, finalmente os caras explodem a cabeça da fera, com um dispositivo que estava implantado no mesoencéfalo do bicho desde o começo do filme. Pois é.

Meu ex-amigo ainda me enviou uma série de outros filmes para que eu avalie, e, consequentemente ainda terei assunto por um bom tempo aqui com vocês. Mas não se preocupem, que vou passando em doses homeopáticas que é pra ninguém perder a alegria de viver.

Cara, esse filme eu não recomendo pra ninguém, só vim aqui avisar que é realmente muito ruim, não vale o esforço, não é engraçado e o CG do tuba-polvo é uma droga. Se quiser espantar uma visita, passa essa porcaria que o cara nunca mais volta na tua casa. E tenho dito!







Compartilhar no Google Plus

Autor Vanessa Duarte

Esta é uma breve descrição no bloco de autor sobre o autor. Editá-lo no html
    Blogger Comentarios

3 5:

  1. É... Hoje a noite então não vai ter filme recomendado pela Vanesssa.
    Vou ver Card Captor Sakura, então. '-'

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial